O projeto “#PartiuMudar – Educação para a Cidadania Democrática no Ensino Médio” foi lançado em cerimônia na manhã desta quinta-feira (19) no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O projeto é fruto de uma parceria entre a Justiça Eleitoral, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e as Escolas Judiciárias Eleitorais (EJEs).

O projeto vem complementar a iniciativa do projeto “Eleitor do Futuro”, que tem como foco a formação da cidadania entre alunos do ensino fundamental. O projeto se dedicará a capacitar professores para promover entre os adolescentes de 14 a 17 anos ideais democráticos, a conscientização da importância do voto e a participação ativa na vida política do país. A proposta é trabalhar a educação para a cidadania com alunos do ensino médio de escolas públicas e privadas, para ampliar a discussão não apenas sobre o jovem enquanto eleitor, mas também sobre democracia, sistemas políticos, minorias, o papel da mídia, dentre outros temas.

Ao abrir a cerimônia de lançamento, o presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, destacou a importância do amadurecimento de agentes políticos por meio da educação da juventude, como forma de fortalecer a democracia. “Principalmente entre os jovens, existe um clamor por avanços, mas eles só podem ser alcançados com uma mudança de cultura política – que, por sua vez, começa pelos próprios jovens. Muitas vezes, a juventude nem sequer se dá conta do seu próprio potencial de transformação”, disse o magistrado.

O ministro também ressaltou a necessidade do engajamento dos professores para o sucesso da iniciativa, cujo conteúdo, apesar do teor político, é apartidário. “Os senhores professores, sim, serão os grandes responsáveis por levar o projeto até os nossos jovens, exercendo um importante papel no fortalecimento da nossa democracia por meio da conscientização política da nossa juventude”, concluiu.

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF), desembargador Romeu Gonzaga Neiva, lembrou a parceria que existe há 13 anos entre aquela instituição e a Secretaria de Educação do DF para a promoção de programas de conscientização da cidadania entre os alunos do ensino fundamental da rede pública de ensino. Para ele, a iniciativa do projeto “#PartiuMudar” vem complementar o trabalho que já é feito para a formação da cidadania entre os estudantes da rede pública brasiliense.

“Vejo a oportunidade da excelente iniciativa da Corte Superior Eleitoral, no sentido de ampliar o alcance dos programas de cidadania, de forma a promover a educação política de nossos jovens, possibilitando a difusão de conhecimento quanto aos sistemas políticos, o papel da mídia, o respeito às minorias, dentre outros temas que serão abarcados pelo projeto ‘#PartiuMudar’”, disse Romeu Gonzaga.

Escola Judiciária Eleitoral

Fábio Lima Quintas, diretor da EJE/TSE, vê a discussão da política na escola, sem viés político ou ideológico, essencial para a formação da cidadania entre os jovens. “Constatamos que a política, tão necessária na vida social, está sendo colocada em segundo plano. Os jovens se encontram apáticos, desesperançosos. Entendemos que a política faz parte da vida e deve ser trabalhada inclusive na escola. Com esse material que estamos colocando à disposição dos professores, nós queremos engajar as escolas para discutir esse tema da política na vida cotidiana do aluno”, disse.

Segundo ele, o “#PartiuMudar” auxiliará professores a abordar assuntos de grande interesse, como a democracia e o papel da mídia, bem como a função da mulher na política e na sociedade, que são temas de política com os quais os jovens precisam estar familiarizados. “O professor terá o material para pensar o problema, para apresentar ao aluno e terá atividades que serão sugeridas para o aluno. Com isso, nós acreditamos que poderemos mostrar que a política faz parte do dia a dia do aluno”, explicou.

“Não se trata de doutrinar, dizer verdades. É fazer com que o aluno perceba que a política está no dia a dia, e aquele que não se interessa por política será governado por aquele que se interessa por ela. O jovem não pode se alhear. Se alhear da política significa dizer que se está entregando uma parcela significativa da cidadania para alguém”, concluiu.

Estudantes e professores

A professora Deusinha Rocha veio acompanhar o lançamento do projeto. Ela acredita que a proposta de discussão sobre cidadania por meio de uma linguagem direcionada aos jovens será muito válida para a conscientização política de seus alunos. “É muito importante, até para os jovens se conscientizarem de que eles são relevantes dentro das decisões que se tomam em uma sociedade. Quando se tem um material diferenciado da rotina, ele já desperta uma curiosidade e certamente o sucesso é muito maior”, declarou.

Para a estudante Juliana Mendes Magalhães, de 17 anos, as discussões propostas pelo “#PartiuMudar” podem favorecer as mudanças na vida política do país que muitos anseiam. Segundo ela, os jovens precisam aprofundar o conhecimento sobre a política para poderem aumentar a sua participação, e uma linguagem direcionada a eles pode contribuir para isso. “Na linguagem dos adolescentes fica mais fácil. Eu acredito que vá ajudar para nós entendermos mais”.

Projeto #PartiuMudar

A implementação do projeto “#PartiuMudar” se dará de maneira regionalizada, conforme a competência dos estados e do Distrito Federal para regulamentar o ensino médio. Assim, cada EJE nas 27 unidades da Federação firmará convênios com as respectivas secretarias de educação. As primeiras ações de implementação do projeto foram realizadas na cerimônia no TSE, com a assinatura do acordo de cooperação entre o TSE, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e a Secretaria de Educação do Distrito Federal, e também no Paraná, em Minas Gerais, no Rio Grande do Sul e na Bahia.

O projeto conta com um hotsite hospedado no portal do TSE na Internet, criado especificamente para esse fim, funcionando como base on-line de iniciativas e conteúdos voltados para a educação política. O portal conta com vídeos, imagens, guia do professor, guia do programa “Eleitor do Futuro”, espaço para enquetes, bancos de boas práticas (de alunos e professores) e notícias. Além do conteúdo disponibilizado, o espaço possibilita o diálogo com o TSE e com demais parceiros do projeto, operado pela Ouvidoria da Corte Eleitoral.

O site entrou no ar após o lançamento do projeto, no endereço www.tse.jus.br/hotsites/partiumudar.
Fonte: TSE