O Sistema Nacional das Escolas Judiciárias Eleitorais promoverá, na próxima quinta-feira (26), das 18h às 20h, a live “TRANSformando a Democracia: meu nome, minhas lutas e conquistas”, com transmissão ao vivo pelo canal do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS) no YouTube.

O evento contará com o protagonismo de pessoas transexuais ou travestis ativistas que lutam por mais representatividade, trazendo suas experiências de vida e incentivando a participação de mais pessoas trans na política.

Com apresentação e mediação da assessora da Presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e integrante da Comissão Gestora de Políticas de Gênero da Corte (TSE Mulheres), Júlia Barcelos, a live contará com palestras do ex-ministro do Tribunal Joelson Costa Dias; do especialista em Direito Internacional pela Universidad Europea de Madri, Felipe Lascani; e da codeputada estadual pelo partido Juntas e militante nas pautas LGBT, negra e feminista Robbeyoncé Lima.

Guia

Durante o evento será apresentado o Guia de Linguagem Inclusiva para Flexão de Gênero: Aplicação e Uso com Foco em Comunicação Social”, produzido pela Secretaria de Comunicação do TSE, com o apoio da Comissão TSE Mulheres.

O material pretende viabilizar a adoção de uma escrita inclusiva e representativa nos diálogos e nas produções escritas e visuais da Justiça Eleitoral. A medida atende à Resolução nº 376/2021 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e será aplicada, ainda, pelos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs).

A publicação virtual tem 17 páginas de leitura fácil e objetiva, passando pelas diversas formas de aplicação dessa linguagem, como em artigos e contrações prepositivas; em referências a cargos políticos; em textos jornalísticos para mídia impressa e digital, além de material para vídeos e podcasts. Clique aqui e acesse o guia.

Segundo o presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-B), Joás de Brito Pereira Filho, ao promover o evento, o sistema cumpre com o seu compromisso cidadão de combater a violência de gênero, fomentando a participação política da população trans e difundindo o tema “nome social”, em prol de uma sociedade mais justa e igualitária.

Fonte: TSE